Pra onde vou? - Sem pé nem cabeça

Reads: 3064  | Likes: 0  | Shelves: 0  | Comments: 0

Status: Finished  |  Genre: Poetry  |  House: Booksie Classic

Os nós da mente. Os nós do coração. Vivemos um imenso emaranhado de cordas. Algumas nos prendem, outras nos livram. A linha tênue entre ter um hobbie e uma profissão no meio artístico. A dúvida, os sonhos e as inseguranças. A inconstância da vida nos faz desejar ficar presos a ideias que nunca nos pertenceram. Essa é a minha história, em linhas tortas e repletas de emoção, escolhendo o meu caminho autoral. A poesia é aberta à sua interpretação e reflexão. Boa leitura!

Table of Contents

Sumário

  1- Dilema das primeiras horas 2- Lapso 3- Vitral 4- Flor de calçada 5- Hiato 6- Meu S... Read Chapter

Dilema das primeiras horas

Admiro: Todas as minhas grandes expectativas E minhas meras questões. Pequenos ambícios envoltos em mínimas chances  De... Read Chapter

Lapso

O luxo de sonhar tão cerne aos passos hediondos e exibidos; Crescer nas rachaduras das calçadas e nos espaços entre os tijolos. ... Read Chapter

Vitral

Inoportuna a vivência de seres banais e a convivência em seus paralelos diferenciados. Essa sede de consertar todo... Read Chapter

Flor de calçada

Surpreende-me como coisas exíguas  me preenchem às avessas, sem águas prometidas  ou o peso de feições ambíguas.&nb... Read Chapter

Hiato

Meu coração está esgarçado Frouxo, relaxado. Relapso e convexo. Sem amor, sem sexo. Sem gênero. Efêmero, porém sincero. ... Read Chapter

Meu Sol

Escura matéria rodeia Vazio que pressiona o peito Aquele que não incendeia Os sóis que são suas voltas Mas menina, Que cami... Read Chapter

Rendição

Digo-lhe  O enjoo me diverte  Ao mesmo tempo que adoece  As partes que ardem — e ficam — Corpos cinzas... Read Chapter

Valor

No remanso ácido do arbítrio, e na súbita perda de ciência; em cada fresta tornada mistério, sobrei em segredo, mesmo que, n... Read Chapter

Armadilha

Na paisagem calada,  O fim da turbidão interna,  No mesmo tom do asfalto alçado  Que sustenta a minha figura em se... Read Chapter

Miríade

No ofício de autor, cravo a palavra no papel, assim como a estaca no peito. Mesmo que, como um animal de ferida aberta, Procur... Read Chapter

Martírio

A pena que me atribuo cada vez que respiro pra viver em você, Entrecorta as palavras na garganta, Como meu peito em uma guilhotina... Read Chapter

Ciclo

Eu não me canso. Em textos suplico, neles em que grito, Quanto eu calo meu corpo Aflito por essa falta de avanço. É tanto me... Read Chapter

Passageiro

É quase instantâneo, um pico de endorfina, minha dependência química autônoma da vida petulante que me ensina a querer esse ... Read Chapter

Cavalete

Projeto sem linha e sem suporte. Como aquarela,  A mistura de toda a obra da alma Depois de um coquetel de dores. Como um bo... Read Chapter

O lobo

Enfim,  lhe digo que consumo dos mesmos prazeres Ínfima fraqueza da juventude que ama em carne viva, E chora sequelas c... Read Chapter

Dilema das Últimas horas

Irão se perguntar O porquê escolhi a leiva fria. Talvez dirão que é heresia, Que foi ingratidão, que foi covardia. M... Read Chapter